O ESPORTE DE ASSU E REGIÃO, OBRIGADO PELA VISITA

quinta-feira, 28 de maio de 2020

Maio 2020 - 11 anos da conquista do ASSU Campeão Estadual

Presidente da FNF revela preocupação e autonomia dos Estados pode atrapalhar começo da Série D

Foto: Divulgação/FNF
O presidente da Federação Norte-riograndense de Futebol (FNF), José Vanildo(Foto), se mostrou preocupado quanto ao início do Campeonato Brasileiro da Série D. Isso porque, a competição por ser regionalizada depende do retorno do futebol em massa nos Estados envolvidos para o evento só assim poder acontecer. “Faço uma interrogação uma vez que a gente não pode planejar, por exemplo, quando vai recomeçar o Campeonato Estadual? Ora, pode reiniciar aqui no Rio Grande do Norte, mas pode não começar ou terminar na Paraíba, Pernambuco, etc...Então como nós iremos começar a Série D? Nós vamos jogar contra quem se lá (outros Estados) o futebol não for liberado?”, indagou ele durante sua participação em programa de esportes da 87 FM de Natal. Para explicar melhor: um Estado pode retomar primeiro o futebol em relação a outro, porque tudo irá depender do achatamento da curva da pandemia. Representantes do Rio Grande do Norte na Série D de 2020, ABC, América, Potiguar e Globo têm como adversários (confira abaixo) equipes do Ceará, Paraíba, Sergipe, Alagoas e Pernambuco. Nesses Estados, a pandemia segue com curva ascendente, no entanto uns com maiores dificuldades que outros, o que não descarta a volta de alguns deles em primeiro. A pandemia do novo coronavírus paralisou o futebol desde a segunda quinzena de março. Vale lembrar que o Ministério da Saúde já aprovou o retorno do futebol contanto que as Federações adotem rígido protocolo médico de segurança para evitar o contágio da doença. A entidade entende que a retomada do futebol “pode contribuir para as medidas de redução do deslocamento social através da 'teletransmissão' dos jogos para domicílio”. No entanto, a maioria dos Estados brasileiros não seguiu essa recomendação e assim permanecem orientados por seus governos. Em alguns locais, há divergência entre o Governo e a federação quanto ao retorno, mas o Estado tem autonomia reconhecida pelo Supremo Tribunal Federal (STF) para decidir a volta do futebol como bem entender. Por consequência, tal autonomia pode atrapalhar o começo da Série D. “A decisão do STF fez desmembrar a competência dos estados, antes não era assim. A decisão do Ministério de Saúde impactava em todas as federações e seus estados, mas hoje o que pode ser no Rio Grande do Norte, Paraíba ou Pernambuco pode não ser para outros estados pela autonomia concebida para cada um”, disse Vanildo. Diante do cenário de incerteza, o presidente da Federação potiguar não faz ideia se o calendário do futebol brasileiro será mantido, com a retomada da Copa do Brasil e a realização do Campeonato Brasileiro das quatro divisões (A, B, C e D), sobretudo da Série D, a que interessa ao Rio Grande do Norte, ou se será ajustado.  “Na hora que houver a abertura para recomeço dos estaduais em todo Brasil, ao largo dele vai permitir o recomeço da Copa do Brasil e os campeonatos brasileiros entre eles a Série D. Dai o momento de muita interrogação para saber efetivamente se a CBF mantém ou faz ajustes no calendário, tendo em vista esse momento de pico (da pandemia) e incertezas”, concluiu.
ADVERSÁRIO DE ABC E POTIGUAR NA SÉRIE D:
Central(PE), Coruripe(AL), Freipaulistano(SE), Itabaiana(SE), Jacyobá(AL) e Vitória da Conquista (BA).
ADVERSÁRIOS DE AMERICA E GLOBO NA SÉRIE D:   
Afogados da Ingazeira(PE), Atlético Cajazeiras(PB), Campinense(PB), Floresta(CE), Guarany de Sobral(CE) e Salgueiro(PE).
Fonte: Blog do Marcos Santos via FNF

Presidente do América/RN admite que 'clube passou do limite' e espera que Governo dê previsão de volta

Foto - José Aldenir - Agora RN
Na terça-feira, 26, o futebol potiguar completou 70 dias de paralisação, após o primeiro decreto assinado em 18 de marco pelo Governo do Estado, recomendando o isolamento social e suspendendo várias atividades, entre elas o futebol. Até o dia 4 de junho, quando encerrará o terceiro decreto (segundo foi assinado no dia 1º de abril), não se fala na retomada do esporte por conta da pandemia do novo coronavírus. Preocupado com a situação, o presidente do América de Natal, Leonardo Bezerra(Foto), afirmou que o clube já “passou do limite” e teme que possa tomar medidas severas caso o futebol não retorne em junho. “A partir do dia 4, se não voltarmos, eu convoco reunião emergencial com o Conselho Deliberativo para tomarmos medidas drásticas para no futuro o América não se acabar”, asseverou o dirigente em entrevista à FM 98 de Natal. O dirigente americano defende o retorno das atividades de forma segura e responsável, com base em rígido protocolo médico, mas mesmo assim o Governo do Estado “dá de ombros” com a situação do futebol, sem se importar com os problemas que os clubes vêm enfrentando com toda essa crise. “Eu vejo de fora como cidadão norte-riograndense que o Governo do Estado não está muito preocupado com a situação do futebol, que é uma ferramenta tão importante nesse momento de pandemia no combate a depressão. Nenhuma atividade no mundo aguenta dois, três meses só com despesa e sem receita nenhuma. Realmente, o América está com água pelo pescoço”, afirmou ele, referindo-se aos benefícios à saúde que o esporte pode permitir com sua volta. A propósito, no início deste mês de maio, o Ministério da Saúde emitiu documento aprovando o regresso do futebol, desde que o faça com medidas preventivas, entre elas a testagem de todos os envolvidos. O texto do documento afirma que o futebol “é relevante no contexto brasileiro e que sua retomada pode contribuir para as medidas de redução do deslocamento social através da 'teletransmissão' dos jogos para domicílio”. No entanto, nem todos os Estados seguiram essa recomendação, como é o caso do Rio Grande do Norte, e quase todos eles permanecem orientados pelas autoridades sanitárias estaduais, que entendem que o momento não é de liberar o esporte, enquanto a curva da pandemia não achatar. Mesmo assim, o presidente do América espera que o Governo pelo menos dê uma previsão mesmo que demorado for o retorno, para que os clubes possam se planejar e reduzir despesas. “O Governo precisa pelo menos dar uma previsão de uma possível volta, se em agosto ou setembro, e baseado nisso o América vai ao Sindicato informando que não pode cumprir o contrato com os atletas, porque está impedido de realizar as atividades. Com isso, o clube vai comprimir as despesas, pois se não há receita, também não podemos ter grandes despesas. Pelo menos, isso nos ajudaria muito”, disse. “O América hoje é o maior prejudicado com tudo isso, ele cumpre com suas obrigações e mesmo com a redução salarial que foi feita com os atletas, o nosso clube não aguenta mais um mês sem treinar e sem perspectiva de retornar o calendário”.
POSIÇÃO DA FNF
O presidente da Federação Norte-riograndense de Futebol (FNF), José Vanildo, também faz coro pela volta, mas com responsabilidade. “Não queremos forma alguma extrapolar, se reiniciar pelo reiniciar, mas que haja a inclusão do futebol dentre as atividades produtivas, que precisam ser ouvidas e consideradas”, disse. O dirigente lembra que o futebol é uma cadeia produtiva, pulsante à economia, e que gera centenas de empregos diretos e indiretos aqui no Estado. “Duvido que alguém de imediato diga qual a empresa que tem um custo mensal de salário em torno de R$ 1 milhão de reais... esse valor é que os clubes do RN pagam por mês só de salários aos seus atletas”, concluiu.
Fonte: Blog do Marcos Santos

terça-feira, 19 de maio de 2020

América estabelece protocolo médico para retorno aos treinos

O Alvirrubro adquiriu testes de Covid-19 na expectativa da liberação do retorno às atividades futebolísticas no América Futebol Clube, o que não aconteceu. Em total acordo com o Departamento Médico americano, a Diretoria seguirá o protocolo desenvolvido pelo corpo clínico da instituição, composto pelos Doutores Maeterlinck, Marcos, Marcelo e Márcio Rego. Antes do retorno definitivo, todos os atletas e funcionários serão submetidos a testes que, de acordo com os médicos do América, deverão acontecer em até 72h antecedentes. Enquanto aguarda o próximo decreto do Governo, a Diretoria vai adequar a estrutura do Centro de Treinamento Dr. Abílio Medeiros, em Parnamirim, com a desinfecção de toda a área de trabalho. Mediante a autorização do Ministério da Saúde, do Governo do Estado e da Vigilância Sanitária, produtos de higiene, além dos kits de teste rápido, estarão à disposição de todos, bem como equipamentos de proteção individual (EPI). De acordo com o protocolo desenvolvido pelo Departamento Médico, o primeiro teste deverá ocorrer 72h antes do treino e o segundo no dia do trabalho com o intuito de identificar falsos resultados. Jogadores e funcionários imunizados poderão compor um grupo único de treinamentos que deverão ser divididos em mais de um vestiário, respeitando o distanciamento de cada atleta. As regras também rezam que cada atleta deverá se deslocar para o CT em seu veículo sozinho e deverá estacionar em local pré-definido com distância segura entre os veículos. Em caso de não possuir qualquer meio de locomoção, deverá se deslocar de carro de aplicativo utilizando máscara cirúrgica e fazer uso de álcool em gel ao sair do veículo. Este procedimento também será observado na ida aos jogos. Caso seja necessário o uso de ônibus para ida aos jogos e/ou treinos, o espaçamento entre cada atleta será de duas filas com uso obrigatório de máscara, com jogadores e comissão técnica se deslocando separadamente, sendo obrigado o uso de álcool em gel na entrada e saída do veículo. Após cada uso, todos os espaços serão submetidos à nova desinfecção pela equipe de limpeza que estará devidamente protegida com máscaras e luvas. As medidas serão adotadas inclusive em caso de tratamento médico. Cada atleta “entregue ao DM” não poderá frequentar outras instalações, bem como terá maca e produtos individualizados, sem qualquer tipo de compartilhamento. Os profissionais da saúde também estarão devidamente protegidos e cientes da necessidade da assepsia.
NO TREINAMENTO
Antes de iniciarem os trabalhos, atletas e comissão técnica serão submetidos a um termômetro infravermelho. Na ocorrência de febre e/ou sintomas respiratórios, o testado será isolado e avaliado individualmente.Será respeitada a quantidade mínima necessária – não mais de dez - de membros da comissão e staff para conduzir o treino. Não será autorizada a utilização de adereços, tais como alianças, correntes e relógios, nem a presença de torcedores e profissionais da imprensa. O protocolo médico do Alvirrubro também tem orientações específicas para treinamentos individuais e coletivos que vão desde a obediência aos horários marcados até o tratamento com os aparelhos/utensílios a serem usados.
Fonte: América F. C.

ABC renova com Igor Goularte até o fim da temporada

Foto: Luciano Marcos/ABC
O ABC anunciou nesta terça-feira a renovação do contrato do atacante Igor Goularte(Foto) até o fim da temporada 2020. O empréstimo do jogador havia se encerrado no último dia 7 de maio, mas o acordo foi prorrogado até o fim da Série D deste ano. Fico feliz que deu tudo certo. Estou muito bem no ABC, vivendo um grande momento, estou feliz no clube, na cidade, e queria permanecer. Esperar agora que tudo isso passe e que a gente possa voltar aos treinos e jogos, pois espero continuar dando alegrias ao torcedor e conquistar os objetivos traçados - falou o jogador. Apesar do acordo, Igor e os demais jogadores do elenco do ABC ainda não voltaram a treinar e seguem cumprindo medidas de prevenção ao contágio do novo coronavírus. O Alvinegro suspendeu as atividades no dia 19 de março. Igor Goularte, de 23 anos, participou de todos os jogos do ABC em 2020 e deu quatro assistências, além de marcar quatro gols - um deles definindo a vitória do Alvinegro no clássico diante do América-RN pela Copa do Nordeste. A última vez que o ABC entrou em campo foi no dia 15 de março, em vitória por 4 a 3 diante do Imperatriz no estádio Frei Epifânio pela Copa do Nordeste.
Por GloboEsporte.com — Natal

quarta-feira, 6 de maio de 2020

ASSU só volta com ajuda financeira, diz Presidente

Pedro Cavalcante, Presidente do ASSU-Foto: Princesa FM
Muito se fala na retomada gradativa do futebol, das recomendações médicas para evitar a transmissão do coronavírus, da responsabilidade dos clubes no trabalho diário para conter justamente a transmissão da doença entre atletas e membros da comissão técnica, mas pouco tem dito sobre como será possível no âmbito financeiro a volta dos times, que não tiveram o apoio financeiro da Confederação Brasileira de Futebol(CBF), aos treinamentos e jogos, quando o futebol voltar a sua normalidade, mesmo com restrições. A preocupação foi revelada pelo presidente do ASSU, Pedro Cavalcante, afirmando que a volta do seu time às atividades depende principalmente de uma ajuda financeira, pois caso contrário, a equipe seguirá com o seu departamento de futebol profissional desativado. “O ASSU tem passado momentos difíceis. O aspecto financeiro tem sido um dos maiores problemas principalmente depois dessa pandemia. Já havíamos verificado todas as condições sobre a viabilidade do clube em poder retomar as atividades, mas não é fácil. Se não tiver um apoio por parte da Federação, dificilmente a gente terá condições de voltar às atividades”, disse o presidente Assuense ao Blog. Todos os clubes inseridos em competições promovidas pela CBF receberam um aporte financeiro da entidade, com valores proporcionais por cada uma das quatro divisões (series A, B, C e D), por conta da pandemia. No Rio Grande do Norte, América, ABC, Potiguar e Globo receberam ou irão receber a quantia de R$ 120 mil. Os quatro irão disputar a Série D deste ano. Quem não participa de nenhuma série, não será contemplado. A propósito, o presidente do ASSU não entende porquê a CBF excluiu os times que, de momento não estão inseridos em competições coordenadas por ela, quando na verdade essas equipes também contribuem para arrecadação vultosa da entidade na cobranças de taxas de inscrição de jogadores e também de anuidade. “A CBF deveria ter esse compromisso de ajudar também esses times, porque a CBF recebe dessas equipes as taxas de contrato de jogador e também a taxa por anuidade. Dizem que a CBF não tem responsabilidade, como não tem? Ela só o tem direito de arrecadar? Vejo que a entidade também tem responsabilidade sobre esses times neste momento difícil financeiramente por que está passando devido à pandemia”, comentou. “Mas, acredito, que haverá um jeito, algum apoio, seja da Federação, para a gente voltar no momento oportuno”. Na semana passada, a Federação reuniu com os representantes de clubes para tratar da possível retomada do Campeonato Estadual, mas segundo Pedro Cavalcante, a entidade não “falou de questão financeira”. 
DESCRENÇA
Sobre um possível retorno às atividades agora em maio, Pedro Cavalcante se mostrou descrente e afirmou que o seu time só voltaria aos treinos e jogos mediante o aval das entidades sanitárias. “Não existe uma data para voltar em maio, isso é impossível pelo que estamos observando. Nós não vamos de encontro a qualquer regra do Ministério da Saúde, não queremos correr o risco de ser corresponsáveis por algo que possa acontecer. A Federação não tem responsabilidade diretamente com o clube, o clube é quem passa ser o responsável pelo dia a dia dos atletas. Nós não voltaremos enquanto não houver a liberação total”, concluiu.
Fonte: Blog do Marcos Santos

sábado, 2 de maio de 2020

FNF reúne clubes e aguarda posição do governo para liberação de jogos: "Não há pressa"

Foto: Iuri Seabra/FNF
Representantes dos oito clubes da primeira divisão do Campeonato Potiguar estiveram reunidos com o presidente da Federação Norte rio-grandense de Futebol, José Vanildo, na manhã desta quinta-feira, em Natal. No encontro, foi debatido o plano de ação lançado pela FNF para a retomada dos jogos do estadual. A competição foi suspensa no último dia 17 de março devido à pandemia do novo coronavírus. Todos os presentes concordaram que deve ser respeitado o momento adequado para a volta aos gramados, aguardando a liberação por parte do governo. Segundo José Vanildo, a FNF "levou ao governo do estado as medidas já adotadas e espera o aconselhamento e a melhor decisão para o retorno das atividades do futebol do Rio Grande do Norte". Para os representantes dos clubes, o momento ainda é de estudar, flexibilizar o regulamento, dispensar as taxas e compreender a situação da pandemia para poder terminar a competição em campo.
Foto: Iuri Seabra/FNF
O plano de ação da FNF destaca medidas que deverão ser adotadas após a flexibilização do isolamento social, tais como o monitoramento dos atletas quanto ao Covid-19, o acesso restrito aos clubes, a realização de jogos com portões fechados e o uso de garrafas de água de uso individual ou copos descartáveis. Também trata sobre o trabalho da arbitragem, da imprensa e da Polícia Militar, além da possível presença de torcedores.  - Quem pode decidir a volta do Campeonato Potiguar são o poder público e as autoridades responsáveis pela saúde do nosso estado. Eu convoquei essa assembleia para escutar os dirigentes dos clubes e mostrar que FNF está aqui para ajudar neste momento. Estamos passando por um momento difícil. É importante respeitar a opinião pública e compreender muitas situações para a volta do Campeonato Potiguar. A nossa intenção é mostrar o que foi passado na reunião que tive com representantes da CBF - completou Vanildo.  A reunião presencial seguiu as normas de prevenção ao novo coronavírus, de acordo com a FNF. Os dirigentes presentes usaram máscaras e álcool em gel ao entrar no auditório, e mantiveram distância superior a 2m. 
Por GloboEsporte.com — Natal

terça-feira, 28 de abril de 2020

FNF encaminha para os clubes o Plano Cautelar do restabelecimento do futebol no estado

A Federação Norte-rio-grandense de Futebol elaborou e encaminhou para os clubes da Série A do Campeonato Estadual, um Estudo e Plano de Ação, estabelecendo diretrizes e regras gerais para implantação após a flexibilização do isolamento social decorrente da pandemia ocasionada pelo covid- 19. Portanto a denominada flexibilização do isolamento social, será́ sempre decorrente de normas públicas e, submetida à avaliação dos clubes filiados e demais atores envolvidos no futebol tais como: FNF, TJD, da arbitragem,  dos atletas e treinadores. Dentre as medidas necessárias para a retomada das competições estaduais, a CBF deverá estabelecer dois parâmetros para definição dos futuros PLANOS DE AÇÃO das Federações Estaduais, estão o novo calendário do futebol brasileiro 2020 e protocolo médico do futebol em relação ao coronavírus e demais Diretrizes da Comissão Nacional de Médicos de Futebol da CBF.
RETORNO DAS ATIVIDADES
A Federação Norte-rio-grandense de Futebol seguindo todas as recomendações sanitárias, estabelece que sejam retomados os treinamentos para que posteriormente seja avaliado reinício da competição. Será necessário um período para que os clubes providenciem a atualização dos contratos dos atletas e que estes retomem seu condicionamento físico.
RECOMENDAÇÕES
Evitar aglomerações em vestiários, ambientes fechados e em campo (neste caso o necessário para realização das atividades); Monitorar previamente os atletas e membros das comissões técnicas, quanto a eventuais sintomas associados à covid- 19, orientando aqueles que porventura estejam sentindo, para que não compareçam aos locais de treinos. Monitorar todos que compareçam aos locais de treinamentos, com mediação da temperatura corporal. Permitir o acesso e permanência aos locais de treinamentos somente das pessoas estritamente necessárias para as atividades daquele momento. Quando possível, realizar o teste em jogadores e membros das comissões técnicas. Cada atleta deve ter sua garrafa de água ou ser feito uso de embalagens descartáveis
RETOMADA DOS JOGOS
Por cautela e seguindo regra que vem sendo debatida por autoridades sanitárias de todo o mundo, as primeiras partidas devem ser realizadas com portões fechados. A liberação de acesso pode ser feita, restringindo-se a quantidade de pessoas e setores dos estádios a serem utilizados, tudo a depender do momento e sempre seguindo recomendações técnicas. Nas viagens, as delegações devem ser compostas pelo menor números de pessoas possível, com ônibus e alojamentos devendo ser sempre desinfetados, com as sustâncias sugeridas pelas autoridades sanitárias. Cada atleta deve ter sua garrafa de água ou ser feito uso de embalagens descartáveis. É determinante evitar agrupamento de pessoas, quando desnecessário, preleção e pós-jogo devem ser realizadas dentro do campo com espaçamento entre staff e jogadores.
ENTREVISTAS
Entrevistas: evitar aproximação, adotando-se protocolo do atleta e treinador segurarem o microfone.
CONCLUSÃO DA COMPETIÇÃO
Uma previsão de calendário, tendo como Start a liberação dos poderes públicos das praças desportivas a serem utilizadas, mesmo que com portões fechados ou capacidade de público limitada. I) Start: O dia de início de execução de Plano de Ação, se dará com a Liberação dos estádios, pelos poderes públicos responsáveis, mesmo com portões fechados ou capacidade de público limitada; II) 2 dias após o Start: Imediata realização de reunião de Clubes e FNF para deliberação de aspectos técnicos da competição, tais como: prazo para registro de atletas; renovação e inscrição; definição de pré- temporada e data de reenício do campeonato.
ESTÁDIOS
A retomada da competição dependerá da liberação das praças desportivas, por parte do Governo do Estado e das Prefeituras Municipais envolvidas. Vale lembrar que os clubes mandantes precisam, ainda, atualizar eventuais Laudos Técnicos que estejam com prazo de validade vencido.  O clube mandante deverá disponibilizar a venda antecipada de ingressos, evitando-se a aglomeração de torcedores nas bilheterias nos dias dos jogos.
RECOMENDAÇÕES
Vigilância Sanitária, Na condição de órgão sanitário, a Vigilância Sanitária/Secretaria de Saúde será consultada com relação as medidas que deverão ser adotadas em praças desportivas, reunião de pessoas, uso de máscaras, medidas de higienização e demais medidas preventivas necessárias e/ou obrigatórias.
POLÍCIA MILITAR
Para a realização dos jogos, será necessário a liberação dos estádios pela Polícia Militar, com que se refere à segurança, bem como a redução da capacidade de uso, seguindo orientação das autoridades sanitárias. É recomendado o uso de máscara pelos policiais que, quando necessário, serão disponibilizadas pelo clube mandante. Serão mantidas reuniões oportunamente com os representantes da Polícia Militar quanto a orientações e medidas necessárias para evitar-se aglomerado de pessoas.
Para Corpo de Bombeiros e STTU, o Plano de Estudo aplica as mesmas medidas sugeridas para Polícia Militar.
ARBITRAGEM
Os árbitros deverão evitar permanência de pessoas além da necessária nos vestiários e, quando possível, de forma alternada entre seus integrantes.  Na atuação em campo, sempre que possível o árbitro deverá prezar pelo distanciamento dele com relação aos atletas, bem como dos demais integrantes da arbitragem. O árbitro e/ou assistente escalado para uma partida que apresentar sintomas gripais deverá comunicar à CEAF, a fim de ser providenciada sua substituição. A CEAF deverá escalar árbitros e assistentes que residam na mesma cidade onde a partida será realizada, evitando- se deslocamentos intermunicipais. Quando tal medida não for possível, a designação deverá ser feita observando-se o domicílio do árbitro mais próximo.
TOCEDORES
Se liberado pelos órgãos governamentais a presença de público nos estádios, os torcedores deverão fazer uso de máscaras, caso esta seja a orientação/determinação das autoridades governamentais. Deverão seguir a orientação dos órgãos competentes quando a aglomeração de pessoas e manter o devido afastamento dos demais, principalmente no que se refere à entrada nos estádios e acomodação de lugares. Sempre que possível, recomenda-se a compra dos ingressos de forma antecipada, a fim de evitar-se a aglomeração nas bilheterias.
IMPRENSA
Será necessária a utilização de máscaras de proteção e álcool em gel pelos profissionais que atuarem nas partidas. Deverá ser aplicada o distanciamento mínimo de 1,5m a 2m quando da realização de entrevistas, bem como a utilização de um microfone específico para o entrevistado, devidamente higienizado com álcool em gel. Os coletes utilizados serão cadastrados em nome dos profissionais habilitados, ficando estes responsáveis pela lavagem e reutilização. Os clubes deverão adotar as medidas necessárias em seus centros de treinamento, não sendo recomendado o uso de salas de entrevistas fechadas.
TRANSMISSÕES AO VIVO
Caso seja necessária a realização de partidas com portões fechados, a FNF priorizará a transmissões ao vivo, em seu canal na internet, proporcionando a todos o acompanhar o jogo e a divulgação das marcas. Autilização de outro meio de divulgação poderá ocorrer mediante acordo entre mandante, mandado e anuência da FNF.
BARES/VENDEDORES AMBULANTES
As pessoas que trabalham na venda de produtos alimentícios e bebidas deverão fazer uso de máscaras, luvas descartáveis e higienização com álcool em gel, de acordo com as orientações das autoridades sanitárias.
FALA DO PRESIDENTE
“A Federação sempre  em sintonia, desde o início, com as medidas que vem sendo adotadas pelo Governo do Estado e demais poderes, prima pela preservação da saúde de todos os envolvidos com o futebol. Entendemos que  a retomada do Campeonato Potiguar, compreende a necessidade de aguardar um posicionamento do Poder Público, dos órgãos superiores esportivos e adotando providências complementares que porventura possam ser essenciais para a prática do esporte coletivo.” José Vanildo ainda complementa. “os resultados esportivos devem sempre seguir os desempenhos dentro de campo e, assim, faremos  todos os esforços para a conclusão da competição, com a disputas das partidas até sua grande final, onde será conhecido o merecido campeão, salvo a impossibilidade legal da sua realização em razão da pandemia ou outra decisão legal citados anteriormente. Em qualquer hipótese aguardamos a melhor solução ao término da Pandemia, com a preservação de vidas, e consequente reinicio do nosso campeonato estadual”. Presidente lembra ainda que a  manifestação de todos integrantes da Série A1 do Campeonato Estadual, deve acontecer oferecendo propostas para aprimoramento desta ação e, especialmente no que entender sobre a suspensão e futuro deste certame, em um prazo máximo de 15 (quinze) dias, contribuindo, democratizando e fortalecendo nossas decisões”.
Fonte: FNF

quinta-feira, 23 de abril de 2020

Médico do ABC comemora recuperação de Wallyson: "Vai voltar muito melhor"

A paralisação das competições devido à pandemia do novo coronavírus fez com que o ABC suspendesse praticamente todas as suas atividades. Um dos poucos jogadores que frequentam as instalações do clube neste período de isolamento social é o atacante Wallyson, que se recupera da cirurgia realizada na perna direita, após fraturar a tíbia no dia 5 de fevereiro. O médico Fábio Freire tem acompanhado o jogador nestes dois meses e meio de pós-operatório e enfatizou que a recuperação está dentro do planejamento. - O atleta teve uma reabilitação muito boa. A fratura hoje se encontra praticamente consolidada. Ele seguiu todas etapas do cronograma que nós do departamento médico do ABC estabelecemos - conta Fábio. Na cirurgia, foi colocada uma haste intramedular para sustentar a fixação da fratura. Após precisar do auxílio de muletas nas primeiras semanas, Wallyson foi liberado para as atividades na academia, como tem compartilhado em vários momentos nas redes sociais, sempre com o apoio dos fisioterapeutas do Alvinegro.
Fonte: Globoesporte.com/RN

quinta-feira, 16 de abril de 2020

Presidente José Vanildo fala sobre o momento de paralisação do futebol

FNF segue linha de prudência adotada pela CBF e acompanha cenário nacional 
José Vanildo - Foto: Iuri Seabra / FNF
O país do futebol faz diariamente a mesma pergunta: quando serão retomados os Campeonatos nacionais e estaduais e como vai ficar o calendário do futebol. A resposta é a mesma: ninguém sabe, ninguém pode prever quando o futebol será retomado na sua plenitude. É uma resposta que foge da alcance da Confederação Brasileira de Futebol ( CBF ) e de cada uma das 27 federações. E mais, foge do alcance de uma resposta imediata da Conmebol e da FIFA. Recentemente Walter Feldman, secretário-geral da CBF disse em  entrevista ao programa "A Última Hora" do canal Fox Sports, que “o futebol não deve retomar as suas atividades totais no mês de maio”. O dirigente afirmou que a entidade prefere um "retorno progressivo" dos eventos por causa do efeitos da pandemia do coronavírus.
Portões fechados
Feldman não descartou a retomada do futebol com portões fechados "Eu diria que o pico da doença no eixo Rio-São Paulo provavelmente se dará no mês de abril, primeira quinzena de maio. Nós temos já uma franca elaboração de um protocolo que permita que, quando a autoridade pública de saúde diga que pode ter a chamada mini aglomeração, é possível nós retomarmos progressivamente, mas claro que de maneira parcial", disse Feldman. "Eu acredito que a volta integral, que seria com as equipes treinando, já realizando seus jogos de portões abertos, me parece muito precoce dizer, mas muito improvável que isso aconteça. Eu acredito na retomada progressiva, e o presidente (da CBF) Rogério Caboclo tem insistido no seguinte: responsabilidade e segurança. Nós não vamos, em hipótese alguma, comprometer a saúde de nenhum elemento que faz parte do protagonismo do futebol", afirmou o secretário-geral. A CBF decidiu suspender a partir de 16 de março por prazo indeterminado as competições nacionais sob sua coordenação que estavam em andamento: Copa do Brasil, Campeonatos Brasileiros Femininos A1 e A2, Campeonato Brasileiro Sub-17 e Copa do Brasil Sub-20.
FNF segue a mesma linha
O presidente da Federação Norte-riograndense de Futebol ( FNF ), José Vanildo da Silva, vem acompanhando o cenário internacional, nacional e principalmente o cenário local e segue a linha de cautela adotada pela CBF, e em entrevista ao site oficial da Federação falou sobre o momento atual. “A pergunta que eu mais gostaria de responder de maneira afirmativa é essa, quando vamos poder voltar com o futebol. Temos tido videoconferências com a CBF, cm Walter Feldman, com o Manoel Flores ( Diretor de Competições ) e todos vivem a mesma expectativa, a do achatamento da cura do coronavírus e da autorização das autoridades da saúde para que o futebol possa retomar. Nenhuma federação, nenhum presidente vai chamar para si uma posição desta magnitude, o que seria um risco muito grande. Entendo perfeitamente o anseio do torcedor, da imprensa esportiva que sofre também os efeitos danosos da paralisação, dos clubes e seus dirigentes e profissionais, mas devemos colocar em primeiro plano a questão da saúde”. Presidente José Vanildo da Silva tem mantido também contatos quase que diários com dirigentes dos clubes que disputam o Estadual. “Os presidentes dos clubes podem responder melhor do que eu sobre as medidas que estão sendo adotadas pela federação neste momento. São oito clubes, com quatro que irão disputar o Campeonato Brasileiro da Série D ( ABC, América, Globo e Potiguar ) que já receberam de forma antecipada  o auxilio financeiro de 120 mil reais da CBF. Temos ABC na Copa do Nordeste em uma situação muito boa e o América na Copa do Brasil também em situação confortável. Mas também temos outros quatro clubes que disputam o Estadual e que buscam espaço no cenário nacional para 2021. A FNF pensa em todos, trabalha por todos de forma democrática, e cada dirigente tem a exata noção do papel que estamos desempenhando”, informou o dirigente.
Esperança
“Eu repito o que já disse, o que mais eu quero é responder com exatidão a pergunta que me fazem todos os dias, sobre o reinicio das atividades, mas precisamos de cautela, de fé, precisamos seguir as recomendações de isolamento social do Ministério da Saúde e mantermos a esperança em dias melhores. O futebol vai voltar, vai superar as dificuldades e vai voltar ainda mais forte.”
Fonte: Assessoria da FNF

Federação de Atletas acena a CBF com intervalo mínimo de 48h entre jogos para "manter empregos"

Foto: Divulgação CBF
Em meio a discussões de clubes e federações sobre encaixes do calendário 2020, a Federação Nacional dos Atletas de Futebol encaminhou sugestão à CBF para adequar o acúmulo de compromissos do ano em cenário de possível falta de datas na temporada com a pandemia do coronavírus. Pela manutenção de acordos e dos empregos do futebol brasileiro, Felipe Augusto Leite(Na foto ao lado presidente da CBF Rogério Caboclo) disse que a Fenapaf defenderia a redução do intervalo entre os jogos de 66h para 48h. A flexibilização desse intervalo entre as partidas se daria em comum acordo entre federações, a CBF e a Fenapaf, que foi quem homologou esta regra junto à entidade nacional do futebol em 2017. Desde então consta no Regulamento Geral de competições da CBF a vedação para clubes e atletas atuarem sem intervalo mínimo de 66h. Em alguns estados, como no Rio, a Ferj prevê intervalo mínimo de 60h.- Falei com o presidente Caboclo no início da paralisação. Também com o Rubinho (presidente da Ferj) – comentou o presidente da Fenapaf, contando que os dirigentes foram receptivos à ideia. – Rubinho achou espetacular. Ouviram (Caboclo e Rubinho) com agradecimento. Estão vendo que todos querem solucionar uma coisa tão grave. Nosso entendimento é de colaborar, encontrar saídas. Os atletas são sensíveis ao que está se passando – completou Felipe Augusto Leite. Ele disse que qualquer denúncia sobre infração de regulamentos – do intervalo mínimo entre partidas, previsto anteriormente para 66h - só sairia da Fenapaf. A sugestão é num momento de excepcionalidade extrema. Precisamos manter postos de trabalho. Não vou ser eu que vou fazer isso (denunciar a infração do regulamento de 66h). Estamos em caráter excepcionalíssimo. Não vamos botar clubes de dois em dois dias para jogar várias vezes. Um joga uma vez, outro joga e vai acomodando para não sobrecarregar ninguém – comentou o dirigente da federação de atletas.
Por Raphael Zarko — Rio de Janeiro

quinta-feira, 9 de abril de 2020

Bira Marques assume presidência e prega união no ABC

Foto: Andrei Torres/ABC
O empresário Elisiel Ubirajara Marques, mais conhecido como Bira Marques, é o novo presidente do ABC. Ele assume o cargo após a renúncia do professor e médico Fernando Suassuna, anunciada na terça-feira. Nesta quarta-feira, Bira divulgou carta aberta para a torcida e conselheiros do Alvinegro. Bira-Marques, que foi vice-presidente de futebol na gestão Rubens Guilherme entre 2013 e 2015, retornou ao clube como vice-presidente de Suassuna em dezembro de 2018. No ano seguinte, o ABC acabou rebaixado para a Série D e a crise financeira agravou. Em 2020, o Alvinegro foi campeão do primeiro turno e liderava o returno do Campeonato Potiguar, interrompido pela pandemia do novo coronavírus. - Seremos todos responsáveis em colocar o Mais Querido de volta ao caminho do crescimento, da grandeza e das vitórias - conclamou Bira.
Veja a carta na íntegra: 
Prezada Frasqueira, 
Hoje estou assumindo o enorme desafio de presidir o maior clube de futebol do Rio Grande do Norte. Sei que a responsabilidade é imensa, mas conto com a UNIÃO de todos os abecedistas para enfrentarmos as inúmeras dificuldades e desafios que virão pela frente. Não me faltará força de trabalho, dedicação e amor ao clube. Darei o melhor de mim, sempre com o propósito de acertar nas tomadas de decisão junto com a diretoria e Conselho Deliberativo. Espero contar com a irrestrita colaboração e apoio de todos que fazem o ABC: Conselho Deliberativo, diretores, sócios, funcionários, colaboradores e, principalmente, da sua imensa e apaixonada torcida, maior patrimônio do clube. Seremos todos responsáveis em colocar o Mais Querido de volta ao caminho do crescimento, da grandeza e das vitórias.
UNIDOS VENCEREMOS!
Natal, 08 de abril de 2020.
Elisiel Ubirajara Marques - Presidente
 Por GloboEsporte.com — Natal

Veja quanto cada clube do Rio Grande do Norte vai receber da CBF; FNF também é beneficiada

A Confederação Brasileira de Futebol anunciou nesta semana o repasse de R$ 19 milhões para ajudar clubes das Séries C e D do Campeonato Brasileiro, federações e equipes que disputam as Séries A1 e A2 do Campeonato Brasileiro Feminino. O auxílio financeiro vem no momento em que as competições estão suspensas devido à pandemia do novo coronavírus. Cinco clubes do Rio Grande do Norte foram beneficiados - ABC, América-RN, Globo FC e Potiguar de Mossoró, que disputam a Série D, e o Cruzeiro de Macaíba, representante do estado na Série A2 do Brasileiro Feminino. No total, o estado terá direito a R$ 650 mil. Para os clubes de Série D, o valor destinado para cada será de R$ 120 mil. A CBF instituiu um valor "equivalente à média de duas folhas salariais dos atletas da competição". Para a Série A2 do Campeonato Brasileiro Feminino, o auxílio por clube será de R$ 50 mil. A Federação Norte-rio-grandense de Futebol também vai receber R$ 120 mil - mesmo valor de todas as outras.
Por GloboEsporte.com — Natal

segunda-feira, 6 de abril de 2020

FNF concede auxílio financeiro aos árbitros e assistentes

Foto: José Carlos Borges
Atendendo a solicitação do Sindicato dos Árbitros do Estado, a Federação Norte-rio-grandense de Futebol, seguindo os moldes da ajuda oferecida pela CBF, concedeu um auxílio financeiro diretamente aos 27 árbitros e assistentes que pertencem ao quadro da Comissão Estadual de Arbitragem da FNF, em função da paralisação do futebol no Brasil. Cada um deles vai receber a antecipação de uma taxa de arbitragem. Vale lembrar também que os cuidados físicos estão sendo feitos pelo educador físico da CBF, Igor Costa. O instrutor está estabelecendo com os árbitros uma rotina regular de atividades focadas na manutenção das valências físicas fundamentais e do fortalecimento da imunidade. 
Fonte: FNF

quarta-feira, 1 de abril de 2020

Clubes de estaduais enviam carta à CBF pedindoajuda

(Foto: Lucas Figueiredo/CBF)
A Confederação Brasileira de Futebol deve receber uma carta enviada nesta quarta-feira, 1º, assinada por 14 clubes de primeira divisões de estaduais do Brasil. Nas assinaturas, está a do Presidente do ASSU, Pedro Cavalcante e Lúcio Barão, presidente do Barbalha. Outras 128 agremiações - incluindo cinco times cearenses - tiveram o consenso do documento. O Barbalha assinou a carta por fazer parte da comissão que está à frente do projeto. Guarany de Sobral, Ferroviário, Caucaia, Pacajus e Atlético-CE tiveram o consenso do documento. O pedido é que a entidade ajude aos 142 clubes participantes (14 que assinaram e os 128 que tiveram consenso). A carta, consiste em três pedidos para a entidade máxima no futebol brasileiro: R$ 75 mil mensais por três meses no mínimo para ajudar nos custos dos clubes, seja em vencimentos de jogadores e funcionários ou manutenção de CTs; pedido de isenção das taxas cobradas pela CBF na inscrição de atletas, rescisões, taxa anual de clubes, entre outras, no período de paralisação; e que haja um canal de informações entre a instituição e os clubes com relação aos campeonatos estaduais que estão paralisados. O documento defende que "os clubes signatários, que participam de campeonatos estaduais paralisados, são responsáveis por mais de 17,5 mil postos de trabalhos diretos no país". A conferência entre os presidentes aconteceu via grupo de Whatsapp e acontece desde o último domingo, 29. Na questão financeira, caso a CBF concordasse com o pedido, teria que desembolsar o total de R$ 31,9 milhões. A entidade teve receita recorde em 2019, chegando perto de R$ 1 bilhão, mas boa parte do dinheiro não pode ser destinada ao futebol masculino profissional.
Fonte: Jornal o Povo

Árbitros terão ajuda de custo da CBF

Foto: Divulgação
Leonardo Gaciba, presidente da Comissão Nacional de Arbitragem da Confederação Brasileira de Futebol, anunciou em vídeo  enviado através de grupo de WhatsApp  de árbitros, que a CBF vai pagar uma ajuda de custo para os integrantes do Quadro Nacional e que estão sem atuar por causa da pandemia de Coronavírus que paralisou o futebol no Brasil. Salmo Valentim(Foto), que é presidente da Associação Nacional dos Árbitros de Futebol, através do twitter complementou a informação com os valores que serão pagos a cada árbitro, a partir desta quarta-feira (01/04). Os árbitros da FIFA/CBF receberão 6 mil reais. Os que atuam nas Séries A e B, 3 mil reais, e os que atuam nas Séries C e D, 1 mil e 500 reais de ajuda de custo. Os valores serão descontados das taxas assim que as atividades sejam retomadas. Valentim também encaminhou ofício ao presidente do Senado, Davi Alcolumbre a o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, para que os árbitros sejam contemplados com o “corona  voucher “, uma vez que são profissionais que trabalham sem CTPS, a categoria não é profissionalizada.
Fonte: Blog do Marcos Lopes via 98FM

América-RN anuncia acerto com executivo de futebol que estava no CSA

Foto: Denison Roma/GEsporte.com
O América-RN anunciou no inicio desta semana a contratação de um novo executivo de futebol. Trata-se de Fabiano Melo(Foto), 45 anos, que trabalhou no CSA nas últimas cinco temporadas. Ele deixou o clube alagoano em fevereiro deste ano. Chega ao Alvirrubro em um momento de dúvidas quanto ao calendário do futebol brasileiro por causa da pandemia do coronavírus. De acordo com a nota enviada à imprensa, o novo executivo de futebol do América-RN "já está em Natal e iniciou os trabalhos junto à diretoria e à comissão técnica". Fabiano substitui Luciano Mancha, que acabou deixando o clube no último dia 20, durante a paralisação das competições por causa da pandemia do coronavírus. Mancha foi o responsável pela montagem do elenco para a temporada 2020 e saiu de cena após divergências com o técnico Roberto Fernandes. 
Por GloboEsporte.com — Natal

segunda-feira, 30 de março de 2020

Dirigente do ABC defende suspensão definitiva e que o clube seja declarado campeão

ABC venceu o primeiro turno do estadual (Foto: Alexandre Lago)
O ABC defende a suspensão definitiva do Campeonato Estadual de 2020 e que ele seja declarado campeão.  Um dos membros da comissão executiva do clube, Régis Neto, afirmou que a declaração do ABC campeão seria muito justo, caso realmente a competição seja suspensa. “Não é o pensamento próprio do ABC, mas de todos os clubes. Tivemos contato com alguns como Vitória, Botafogo da Paraíba, Juventude/RS, e entre outros, e é uma posição quase comum (suspender definitivamente), pois não temos calendário, não temos perspectivas, esse vírus é uma incógnita. Então a gente defende a essa suspensão definitiva e que o ABC seja declarado campeão do Estado em 2020”, disse ele durante entrevista ao “Café Esportivo”, da 93 FM. Há especulação também de o campeonato ser cancelado, com a definição das vagas para os campeonatos nacionais  de 2021 (Copa do Brasil e Série D) e regional (Copa do Nordeste) obedecer a classificação do Estadual de 2019, mas o dirigente não acredita e nem defende essa possibilidade. “Não acredito no cancelamento porque seria uma injustiça, já que os clubes se prepararam e fizeram investimentos para competir,  e de uma hora para outra ser tudo cancelado, para quem fez um trabalho sério, seria uma injustiça. Então acredito muito na suspensão definitiva e o que ABC seja declarado campeão obedecendo o critério técnico”, comentou. “O campeonato estava com 80% concluído quando houve a paralisação, e o ABC tinha e tem o melhor índice técnico; foi o campeão invicto do 1º turno, estava invicto e liderando o segundo. Então por questão de justiça devia ser declarado e intitulado o ABC o campeão de 2020”. Sobre a situação dos jogadores, Régis Neto disse que o ABC está aguardando uma posição da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e da Federação Nacional dos Atletas Profissionais de Futebol (FENAPAF)  para decidir, mas admitiu que alguns contratos deverão ser rescindidos. “O clube está aguardando uma posição da CBF e do Sindicato dos Atletas, mas a rescisão de alguns contratos já foi estudado junto com a comissão de futebol. Temos contratos que irão se vencer em abril e com essa indefinição, quando se quer da volta do futebol, a gente fica de mãos atadas. Há compromissos financeiros a cumprir e se não houver a receita, a coisa tende ficar pior. Estamos estudando várias medidas, já tivemos medidas duras em relação ao enxugamento na parte administrativa do clube, e vamos aguardar os acontecimentos”, finalizou.
Fonte: Blog do Marcos Lopes

sábado, 28 de março de 2020

Secretário-geral da CBF não descarta mudança de formato no Brasileiro de 2020

Feldman admite mudança para o Brasileiro 2020. Foto: CBF
Ainda há um impasse com relação à retomada da maioria dos estaduais e, principalmente, dos compromissos de Copa do Brasil, Libertadores e Brasileiro em função da pandemia do coronavírus. A CBF já faz estudos sobre o calendário nacional para a continuação em 2020. Em entrevista ao programa Show dos Esportes, da Rádio Gaúcha, o secretário-geral da CBF, Walter Feldman, revelou que a entidade faz estudos intensos para evitar ao máximo os prejuízos causados pela paralisação por conta da covid-19. O principal ponto da entrevista foi sobre uma possível mudança do Brasileirão, uma vez que podem faltar datas para a sua conclusão.” Há uma sintonia muito bem feita pela CBF com as federações e os clubes. Estamos em alerta com relação ao cenário do Brasil atualmente. Não temos como definir o que vai acontecer com o Brasileirão, se vai mudar o formato em 2020 ou não”. Outro assunto abordado com o secretário-geral da CBF foi a especulação de emparelhar o calendário brasileiro com o do europeu. Ou seja, a temporada iniciar no meio do ano e acabar na metade do seguinte. ” Estamos com quase todos os estaduais suspensos. Nosso departamento está estudando todo nosso calendário e todas as alternativas são possíveis. Ainda é cedo”.
Fonte: Marcos Lopes via CBF

quinta-feira, 26 de março de 2020

Presidente da Liga vê calendário para Copa do Nordeste, mas alerta: "Será impossível espremer"

Ainda sem prazo para o retorno das competições esportivas, paralisadas em decorrência da pandemia causada pela Covid-19, dirigentes e atletas vivem a incerteza de se o restante do calendário suportará todas as competições. Para o presidente da Liga do Nordeste, Eduardo Rocha, o torneio não corre risco de ser dado como encerrado. No entanto, deixa claro que a falta de datas pode virar um problema no futebol. - A Copa terá uma facilidade porque só tem uma rodada classificatória e pelo andar da carruagem, vão se classificar clubes das séries A e B, com a outra parte na C. A Copa do Nordeste é mais fácil de conseguir. Mas alguns Estaduais estavam se encaminhando para returno, pode ter dois campeões, outros tem quadrangulares decisivos. Por uma questão de calendário, vai ser impossível se espremer, por mais que se queira. A grande questão é que, mantendo-se o calendário atual, o segundo semestre precisará agrupar as Séries A, B, C e D do Brasileiro, Copa do Brasil, Libertadores, Copa Sul-Americana, Copa do Nordeste e Estaduais. Cenário que, na avaliação de Rocha, fará com que as entidades façam escolhas. - A CBF fica esperando um posicionamento das autoridades, dizendo se está autorizado o futebol. Isso é uma coisa complicada. A Liga do Nordeste tem a ciência de que se voltar às competições pelo menos até junho, a Copa pode terminar, mas o que você vai fazer com os Estaduais? Não vai fazer os Nacionais? É uma questão de escolha. A não continuidade dos Estaduais foi descartada pelo Presidente da Federação Pernambucana, que alegou o fato de que as competições são classificatórias para a Copa do Brasil e Série D. Com isso, o encerramento prematuro poderia causar uma série de liminares na Justiça. Apesar do cenário, o presidente da Liga mostra-se confiante e alega precisar de poucas datas para o torneio regional. A gente aguarda que até junho volte. Estou tranquilo porque posso diminuir datas, como só temos cinco rodadas a cumprir e com oito clubes. Depois ficam só quatro, depois ficam só dois. Há essa peculiaridade que favorece o término da competição. Mesmo que seja usando datas imprensadas, nós vamos terminar a competição. 
Por GloboEsporte.com — Recife

quarta-feira, 25 de março de 2020

Com 50 anos de clube, roupeiro é desligado do ABC; nota fala em 30 demissões

Fonte: Andrei Torres
O ABC, através de nota oficial, confirmou nesta segunda-feira a demissão de "aproximadamente 30 colaboradores" de vários setores - futebol (profissional e base), administrativo, marketing e comunicação, e programa de sócios. O comunicado diz que a iniciativa é "considerada vital para a continuidade das atividades do clube". Entre os funcionários desligados, o GloboEsporte.com confirmou que está o roupeiro João Bernardo, o Joca(Foto), que tinha 50 anos de serviços prestados ao Alvinegro. de pagar o quadro de colaboradores e "se viu na necessidade de tomar tal medida".
Confira a nota oficial do ABC F.C.
O ABC Futebol Clube vem a público esclarecer a medida tomada nesta segunda-feira (23), em que realizou o desligamento de aproximadamente 30 colaboradores, ação considerada vital para a continuidade das atividades do clube. A medida foi necessária em virtude do impacto econômico gerado pela pandemia do novo coronavírus, o COVID-19, que ocasionou a paralisação de todas as competições nacionais e estaduais, além da suspensão de patrocínios dos parceiros junto ao clube. Sem a fonte de receita gerada através de jogos e sem receita prevista para a temporada, a não ser a última cota da participação na Copa do Nordeste 2020, valor que não existe previsão de repasse antes que seja realizada a última rodada da primeira fase, o clube não teria condições de pagar o seu quadro de colaboradores e se viu na necessidade de tomar tal medida. A diretoria se reuniu durante todo o final de semana e a decisão foi tomada em cima daquelas atividades que não serão necessárias durante todo o período de paralisação e suspensão dos campeonatos. São colaboradores que estão em casa, ficariam sem função e sem receber salário, já que o clube não possui recursos disponíveis. Pensando na manutenção financeira das famílias de nossos colaboradores, neste período em que o clube não conseguirá honrar os salários, o desligamento ao menos possibilitará o recebimento dos recursos do seguro desemprego à grande maioria dos demitidos, dando-lhes a oportunidade de prover para as suas famílias, bem como, buscar novas recolocações neste momento em que o clube ficará parado. O clube ainda esclarece que, algumas situações, respeitando as orientações dos órgãos de saúde e respaldado pelo Departamento Jurídico, os funcionários que se enquadram no grupo de risco da contaminação não foram convocados a deixar suas casas e a comunicação do desligamento foi feita através de videoconferência ou mensagem. Vale destacar que, na conversa com os colaboradores desligados, não foi descartada a opção de, em um segundo momento, depois de normalizada a situação envolvendo a pandemia do COVID-19, e havendo interesse mútuo, existir a recontratação dos profissionais para suas devidas funções. O ABC Futebol Clube lamenta profundamente toda a situação, agradece a todos os profissionais pelos serviços prestados e faz votos que o panorama seja normalizado o mais breve possível.
Fonte: Globoesporte.com/RN

sábado, 21 de março de 2020

ABC disponibiliza Estádio Frasqueirão para o combate ao coronavírus

(Foto: Divulgação-ABC F.C)
Seguindo o exemplo de grandes clubes do país, o ABC colocou toda a estrutura do Estádio Frasqueirão, localizado na Rota do Sol, à disposição da Secretaria Estadual de Saúde do Rio Grande do Norte (Sesap) para o suporte nas ações de combate ao coronavírus em Natal. O presidente Fernando Suassuna e o vice-presidente Bira Marques entraram em contato com a governadora Fátima Bezerra para comunicar esta iniciativa. A nota enviada à imprensa diz que a "diretoria abecedista, ciente da responsabilidade social em que o clube tem diante da sociedade, ainda mais nesse momento importante e crítico vivido por todos, disponibiliza as dependências do seu estádio caso haja a necessidade de ampliação, por parte do Governo, da estrutura de apoio e combate ao novo coronavírus, o Covid-19". 
Comunicado da Arena das Dunas
(Foto: Divulgação/HC Sports)
A Arena das Dunas colocou sua estrutura à disposição do Governo do Estado do Rio Grande do Norte para possíveis ações de contenção a Pandemia do Covid-19 (Corona Vírus), caso seja necessário.
As atividades do departamento de futebol profissional do Alvinegro estão paralisadas desde quinta-feira. Os treinamentos nas categorias de base foram suspensos no dia anterior e os jogadores que estavam alojados na estrutura do clube foram liberados para retornarem às suas residências. Por todo o país, diversos clubes - como Bahia, Botafogo, Náutico, Ceará, Athletico-PR, Corinthians - colocaram instalações à disposição de autoridades estaduais e municipais para ajudar no combate ao novo coronavírus. A ideia é que estádios e centros de treinamento possam, por exemplo, abrigar pacientes em tratamento, para não sobrecarregar hospitais e clínicas em caso de avanço da doença Covid-19 no país. 
Fonte: Globoesporte.com/RN

quinta-feira, 19 de março de 2020

CORONAVÍRUS: Até quando os clubes aguentam o tranco da paralisação?

 Foto: Divulgação
É totalmente incerto o futuro do futebol brasileiro, paralisado por tempo indeterminado em razão da pandemia de coronavírus. Os jogos serão retomados? Quando? Os Estaduais? A Copa do Brasil? Copa do Nordeste? O Brasileiro começa mesmo em maio? Ninguém é capaz de responder a nenhuma das perguntas, nem a Confederação Brasileira de Futebol e menos ainda as federações estaduais. Eu não tenho o número exato mas a maioria dos times de futebol do Brasil são montados apenas para as disputas dos Estaduais, o planejamento financeiro dos clubes é feito para no máximo 90 dias e nada mais do que 90 dias.
Leia também:
Presidente do Safern diz que momento é de preservar a vida dos atletas
No Rio Grande do Norte, com exceção de ABC e América, os demais clubes, tem um tempo de sobrevida e que não pode se alongar muito. Não vão aguentar a responsabilidade financeira com seus profissionais e cada dia de espera, de indefinição de quando e se vai jogar, é um tormento para dirigentes, atletas e comissões técnicas. A maioria dos clubes do RN não estão mais treinando. O Força e Luz emitiu um comunicado dispensando o elenco das atividades físicas e táticas, pelo mesmo período que perdurar a paralisação do Estadual. O Potiguar de Mossoró também paralisou todas as atividades, assim como fez o ASSU e penso que todos os outros. Não pode jogar para evitar a transmissão, não pode treinar. O ambiente de treino é o mesmo ambiente de jogo, com vestiário, palestra, sala de musculação. Mas mesmo dispensando os profissionais dos treinos e atividades físicas, tem que pagar a conta no final do mês, ou não precisa? Claro que precisa! O Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, disse ontem em coletiva que a  possibilidade de o país voltar à vida normal apenas em agosto ou setembro. Já imaginou? Como é que fica o calendário nacional? E como é que ficam os Estaduais? Já tem quem pressione a CBF para encerrar as competições, uma medida radical que não acredito que seja tomada pela entidade. Por quanto tempo os clubes aguentarão o tranco não tem como prever. A CBF  que é uma das maiores empresas do Brasil se quiser tem como socorrer os clubes, e penso que deveria fazer. A entidade teve uma receita total de 957 milhões de reais em 2019, o que representa um aumento de 43,3% em relação a 2008. Os demonstrativos da CBF ainda mostram um superávit de R$ 190 milhões, que representa um aumento de 26% em relação a 2018.
Fonte: Marcos Lopes/98FM